PALÍNDROMOS E CAPÍCULOS

No campo fértil da cultura inútil, desponta como um dos assuntos preferidos dos jornalistas que não têm mais o que fazer a "descoberta" de palíndromos ou capicuas "únicos na história", como eles apregoam, e que, a gente vai ver, não têm nada de únicos.

Abra-se um parêntese para lembrar o que são palíndromos e capicuas. Palíndromo, segundo o dicionário, seria substantivo de origem grega, que indica a formação de uma palavra ou de uma frase que, lida nos dois sentidos, tem idêntico significado. Exemplos clássicos: as frases SECO DE RAIVA COLOCO NO COLO CAVIAR E DOCES e SOCORRAM-ME SUBI NO ÔNIBUS EM MARROCOS. E capicua seria palavra de origem incerta, que indica um grupo de algarismos que, lido nos dois sentidos, resulta em idêntico número. Exemplo: a data de 20/02/2002. Ao contrário do que tenho lido a respeito, entendo que a tradução mais adequada para o termo seria capículo, e não capicua, eis que, para mim, a explicação mais verossímil para a palavra vem do italiano (capo e culo, "cabeça e rabo").

SEQÜÊNCIAS DE DATAS
E, na esteira dessas "descobertas", vez por outra os jornalistas desocupados também encontram tempo para discorrer sobre números seqüenciais impressionantes (segundo eles), tal como a badalada data de 04/05/2006, à 1 hora, dois minutos e 3 segundos, ou seja, 01h02m03s de 04/05/06.

Quanto aos palíndromos, nada a comentar. Eles são apenas curiosos e algumas vezes surpreendentes, como as compridas frases dos exemplos acima. Mas, quanto aos capículos ultimamente apregoados, vejo-os como grandes bobagens, que não têm absolutamente nada de inéditos, ao contrário do que asseveram seus "descobridores".

Para não cansar os leitores, fico apenas em dois exemplos clássicos, extraídos de recentes "barrigas" perpetradas por quase todos os jornais e canais de televisão brasileiros, nos anos recentes:

A primeira foi em torno da data de 20/02/2002 (ou 20h02m de 20/02/2002), que eles afirmavam ser única na história recente e que só se repetiu ou se repetirá às 10h01m de 10/01/1001 e às 21h12m de 21/12/2112. Grande "barriga"! Isso está se repetindo a todo o momento! E não somente a cada cem ou mil anos! Repetiu-se no dia seguinte a 20/02/2002 (20h02m de 21/2/2002) e no outro (20h02m de 22/2/2002) e no outro (20h02m de 23/2/2002) etc. etc. e trinta dias antes (20h02m de 19/1/2002) e quarenta dias antes (20h02m de 10/01/2002) e quarenta dias depois (20h02m de 30/03/2002) etc. etc. e assim pelos séculos e séculos!

A segunda foi em torno do número seqüencial 01h02m03s de 04/05/06, como sendo data "inédita". Outra grande falácia! Isso também acontece a todo o momento! Como em 02h03m04s de 05/06/07 ou em 03h04m05s de 06/07/08. Se isso não fosse uma grande ilusão, eu teria fundado no Brasil a "Seita da Sagrada Seqüência" no dia do meu qüinquagésimo aniversário, às 12h34m56s de 7/8/90. Deu-se ali a "surpreendente" seqüência 1-2-3-4-5-6-7-8-9-0! E nenhum jornalista falou dela! E nem devia, pois essa seqüência sempre aconteceu, de cem em cem anos, e vai continuar acontecendo pelo resto dos séculos, até a extinção do calendário gregoriano. E nem é assim tão inédita: como nos anos '90, acontece também nos anos '89 (01h23m45s de 6/7/89, com a seqüência 0-1-2-3-4-5-6-7-8-9).

SEXTA-FEIRA 13
Abdico, assim, de fundar a minha seita, para continuar com o direito de implorar, de joelhos, aos jornalistas do meu país: Parem com isso! Há tantas coisas acontecendo no Brasil e no mundo a todo o instante! Tirem o traseiro da poltrona e os cotovelos da escrivaninha, saiam às ruas, olhem ao redor e encontrarão assuntos sérios para seus artigos ou seus noticiários. E, antes que eu me esqueça, falando em datas: parem com esses artigos irritantemente repetitivos de todos os dias 13, sexta-feira, que só neste século acontecem 172 vezes, conforme a lista exibida em outra página minha. É duro enfrentar essas reportagens "bombásticas" a cada seis meses!

DATAS RARAS
A desinformação sobre calendários e datas vai mais longe. Neste ano de 2011 um internauta difundiu que o mês de julho tem uma particularidade rara, qual seja conter cinco sextas-feiras, cinco sábados e cinco domingos. Coisa que, segundo o internauta, só se repete a cada 823 anos. Grosso equívoco! Isso se repete SETE VEZES POR ANO, EM TODOS OS ANOS, com todos os meses de 31 dias, seja com a trinca sexta-sábado-domingo (como em janeiro e outubro de 2010, maio de 2009, agosto de 2008, dezembro de 2006, março de 2013, agosto de 2014, maio de 2015, janeiro e julho de 2016 etc. etc. etc.), seja com outras trincas (sábado-domingo-segunda, domingo-segunda-terça, segunda-terça-quarta etc. etc. etc.). O pior é que não faltam internautas incautos para reencaminhar tais mensagens e entulhar a nossa caixa postal, sem se preocupar em conferi-las. A minha página Calendários Perpétuos possibilita conferir a grande falácia que uma multidão de internautas está ajudando a difundir.

O PLANETA MARTE
Aliás, a desinformação na Internet não se restringe a calendários e datas. Ela pode alcançar – e alcança – todo e qualquer ramo do conhecimento humano. Sem censura. É melhor que seja assim. A liberdade de expressão é a grande maravilha da Internet. Cabe a nós internautas separarmos o joio do trigo. Como devemos fazer nas situações antes descritas ou diante de qualquer "revelação" fantástica. Cite-se o emblemático caso do logro do "1º de abril" difundido na Internet por um internauta, que engabelou meio mundo com a notícia que "no mês de agosto de 2003 Marte iria aparecer no céu com o diâmetro aparente* da Lua (cerca de meio grau)". Inocente brincadeira, um chiste, que uma multidão de internautas desavisados insiste em fazer recircular todos os anos, desde então, nas caixas postais eletrônicas, sem o menor senso crítico. Se Marte chegasse tão perto da Terra, a ponto de adquirir o diâmetro aparente da Lua, não sobreviveríamos para vê-lo. Estaria instalado o caos, a desordem cósmica, o Armagedon! E se o leitor quer saber, afinal, qual o maior diâmetro aparente de Marte, visto da Terra a olho nu, qualquer cartilha de Astronomia vai mostrar que, no período de maior aproximação entre os dois planetas, Marte aparece para nós com um diâmetro 128 vezes menor do que a Lua! Um pontinho luminoso no céu, como sempre o vimos! Nada mais do que isso. O próprio planeta Vênus, reconhecidamente maior aos nossos olhos do que Marte, não aparece senão com um trigésimo do diâmetro da Lua, na melhor das hipóteses:

Menos mal, todavia, conviver com essas brincadeiras inocentes, do que com as publicações criminosas que infestam a Internet e que tanto têm provocado sofrimento e dor.


*O que é diâmetro aparente? Diâmetro aparente (diâmetro angular, tamanho aparente, medida aparente), medido em graus, é a abertura do ângulo na qual os olhos abrangem um objeto à sua frente. Se você estende o braço à frente dos seus olhos, o tamanho aparente da ponta do seu dedo mínimo é aproximadamente 1 grau. Isso corresponde aproximadamente ao dobro do diâmetro aparente da Lua ou do Sol. Ou seja, a Lua ou o Sol tem o diâmetro aparente de meio grau. Faça a experiência à noite e veja que a ponta do dedo mínimo taparia duas Luas colocadas lado a lado:

Home
© 31/12/2007 Atualizada em 01/04/2012