OBSTRUÇÃO NASAL

[Relatos de experiências pessoais de um leigo. Não sou médico. Não decida sobre sua saúde apenas com base em informações veiculadas na Internet. Leia-as com reservas, sempre submetendo-as ao seu médico.]

Nos meus cálculos, um quinto da humanidade sofre de algum tipo de obstrução nasal crônica, que se manifesta principalmente no sono. Isso ultrapassa 1 bilhão de pessoas! E o indivíduo passa a dormir com a boca aberta e a conviver com os inconvenientes que daí advêm, entre eles o ronco, a apnéia e o acordar no meio do sono com a boca seca, durante uma vida inteira. Quase sempre o problema está relacionado com deformidades congênitas, entre as quais sobressai o desvio do septo nasal (parede cartilaginosa que separa as narinas). Parece-me que a solução ideal, nesses casos, é a cirurgia corretiva, notadamente se o problema se manifesta na infância ou na juventude. Mas, para quem não quer ou não pode recorrer à solução cirúrgica, surgiram os medicamentos dilatadores – Sorine, Rinosoro etc. – os quais, todavia, podem constituir verdadeiro desastre para o organismo, no uso continuado. Mais recentemente, surgiram os dilatadores nasais mecânicos.

Dentre os dilatadores mecânicos que recentemente surgiram no mercado, está o "esparadrapo" colado sobre o nariz, produto norte-americano vendido no Brasil sob a denominação ClearPassage e que tem a função de abrir as asas do nariz. Constatei, por experiência própria, que esse é o dispositivo mais eficaz, a despeito da queda de qualidade, ao longo dos anos, do preço exorbitante (1 dólar por unidade – nos Estados Unidos é vendido por vinte centavos e ainda é caro) e do dano que pode causar à pele sensível do nariz, no uso continuado. Também tentei usar um dilatador intranasal importado, denominado Nozovent, cuja função é, da mesma forma, abrir as asas do nariz. Foi impossível suportá-lo, pois ele fere as narinas. Existe outra versão norte-americana do ClearPassage, vendida no exterior sob a denominação BreatheRight e no Brasil com o nome Respire Melhor. Este último tem se revelado de melhor qualidade que o Clear Passage:

Descobri então, na Internet, esse outro dispositivo intranasal, da ilustração a seguir:

Cheguei a usá-lo, com bons resultados. Introduzido no nariz, ele comprime o septo e abre caminho à inspiração do ar. Conquanto tenha a enorme vantagem de ser reutilizável, indefinidamente, ele pode causar alguma dor e perde em eficácia para os "esparadrapos", se o problema anatômico do usuário for mais acentuado. Se quiser conhecê-lo melhor, vá à página do distribuidor.

Penso que essa boa idéia deveria ser melhor desenvolvida, em termos de formato (talvez utilizando a tecnologia do "stent" arterial) e de material (talvez utilizando silicone, em vez de plástico rígido), para tornar o aparelho mais eficaz e indolor. O ideal seria que o aparelhinho agisse no ponto correto onde comumente ocorre a obstrução nasal, conforme o croqui abaixo. Eu imagino que esses dois balõezinhos de silicone deveriam conter uma molinha de metal-memória. Eles seriam afinados para facilitar a introdução nas narinas e, ao inflarem, permitiriam a passagem do ar e um bom sono. Eu já teria até marca para esse invento: Sonostent, no Brasil, ou Sleepstent na versão internacional:

Resumindo: enquanto não se inventa um dispositivo intranasal mais eficiente e indolor, a melhor solução para um sono confortável – quando se tem obstrução nasal e não se pretende solução cirúrgica – é o Respire Melhor. Ainda é o dilatador nasal de melhor qualidade, mais eficácia e menor preço. Uma última observação: remover com água e sabão a oleosidade do nariz e secá-lo com papel higiênico, antes de colar o esparadrapo, assegurando assim sua firme aderência à pele durante toda a noite.

Home
© 20/05/2004 Atualizada em 26/06/2011